O Jogo da Onça é um jogo da cultura indígena, genuinamente brasileiro, traçado originalmente no chão, que utiliza pedras e sementes como peças; o jogo é praticado pelos indígenas Bororo no Mato Grosso, pelos Manchakeri no Acre e pelos Guarani em São Paulo, onde há dois tipos de personagens: onça e cachorro. A onça, representada por uma única peça, movimenta-se de maneira similar aos elementos do popular Jogo de Damas, podendo saltar sobre os cachorros a fim de comê-los e, portanto, eliminá-los. Um total de catorze cachorros, o outro tipo de personagem, deve atuar de maneira coletiva com vistas a imobilizar a onça. Vence aquele que primeiramente alcançar seu objetivo. Além das vitórias da onça ou do cachorro, é possível haver empates. Estes ocorrem quando, durante uma partida, for comprovado que uma posição se repetiu quatro vezes. É o chamado empate pela repetição de lances, que deve ser reclamado pelo jogador no momento em que ocorrer

COMO JOGAR